Cifonauta banco de imagens de biologia marinha

Imprensa

Para mais detalhes visite a página Sobre ou entre em contato.

O que é?

O Cifonauta é um banco de imagens para a biologia marinha.

Objetivo

Compartilhar informações científicas e divulgar a biodiversidade marinha através de imagens.

Conteúdo

Atualmente estão disponíveis mais de 10 mil fotos e 250 vídeos de protozoários, animais e plantas. Este material é fruto de estudos científicos e atividades de ensino em biologia marinha e está sendo disponibilizado por pesquisadores e estudantes. Novas imagens são adicionadas ao banco regularmente.

Organização

O conteúdo está organizado por informações como classificação taxonômica, estágio e modo de vida, geolocalização, entre outros. O usuário pode utilizar estes marcadores para navegar e refinar suas buscas combinando-os. Também criamos tours temáticos, seleções de imagens representativas sobre algum assunto específico (eg, diversidade de larvas marinhas), que funcionam como ponto de partida para explorar o conteúdo do banco.

Motivação

Aproveitar a documentação fotográfica de pesquisas científicas, que acabam nunca vindo à público, para enriquecer a divulgação científica em biologia marinha.

Re-uso

O conteúdo do banco está disponibilizado sob uma licença de uso flexível que permite a reutilização do material para fins não-comerciais, desde que a fonte seja citada.

Créditos

O Cifonauta é uma iniciativa do Centro de Biologia Marinha da Universidade de São Paulo e foi desenvolvido por Alvaro Migotto e Bruno Vellutini no âmbito do Edital MCT/CNPq nº 42/2007 - Difusão e Popularização da C&T (processo nº 551951/2008-7) do CNPq.

Tecnologia

A infraestrutura foi desenvolvida com programas livres como Python, Django e PostgreSQL e o código fonte do Cifonauta é aberto. Saiba mais detalhes.

Cifonauta?

O nome e logo deste banco é baseado em um tipo de larva dos briozoários, invertebrados marinhos coloniais e sésseis. A larva cifonauta passa semanas na coluna d'água até se fixar em algum substrato, como rochas ou algas. Ela sofre metamorfose para a forma adulta originando assim uma nova colônia.

Fotos em destaque

  • Copépode +
    Copépode
    Casal em cópula
  • Briozoário +
    Briozoário
  • Balanoglossus gigas +
    Balanoglossus gigas
    "A classe Enteropneusta engloba espécies solitárias, de corpo vermiforme, comumente alcançando mais de 1 metro de comprimento. Habitam, preferencialmente, fundos rasos, sendo 5 espécies registradas em São Paulo. Balanoglossus gigas, uma das maiores espécies do grupo, podendo atingir 2,5 metros de comprimento, está potencialmente ameaçada no litoral de São Paulo, devido à poluição das águas e do sedimento e ao assoreamento e aterramento das praias." (Rodrigues, 1999). Os excrementos de B. gigas são facilmente visualizados na superfiície descoberta da Baía do Araçá durante as marés baixas.
  • Anêmona-do-mar +
    Anêmona-do-mar
  • Copépode parasita de peixe +
    Copépode parasita de peixe
  • Poliqueta de escama - detalhe das escamas dorsais +
    Poliqueta de escama - detalhe das escamas dorsais
  • Estrela-do-mar +
    Estrela-do-mar
  • Zoea - larva de um caranguejo porcelanídeo +
    Zoea - larva de um caranguejo porcelanídeo

Vídeos em destaque