Cifonauta banco de imagens de biologia marinha
Tour:

Ciclo de vida de um equinodermo RSS

Embrião de bolacha-do-mar com 8 células
Embrião de bolacha-do-mar com 8 células

Embrião de bolacha-do-mar com 8 células

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: dic, embrião
Bolacha-do-mar juvenil
Bolacha-do-mar juvenil
Superfície aboral (oposta à boca).

Bolacha-do-mar juvenil

Superfície aboral (oposta à boca).

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: luz polarizada, juvenil, bentônico
Bolacha-do-mar juvenil
Bolacha-do-mar juvenil
Região oral com lanterna de Aristóteles em formação.

Bolacha-do-mar juvenil

Região oral com lanterna de Aristóteles em formação.

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: luz polarizada, juvenil, bentônico
Bolacha-do-mar juvenil
Bolacha-do-mar juvenil
Região aboral (posição normal).

Bolacha-do-mar juvenil

Região aboral (posição normal).

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: juvenil, campo escuro, bentônico
Bolacha-do-mar juvenil
Bolacha-do-mar juvenil
Lanterna de Aristóteles na região oral.

Bolacha-do-mar juvenil

Lanterna de Aristóteles na região oral.

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: luz polarizada, juvenil, bentônico
Metamorfose na bolacha-do-mar
Metamorfose na bolacha-do-mar
Durante a regressão dos tecidos larvais. Espículas do esqueleto da larva ainda estão presentes na região aboral.

Metamorfose na bolacha-do-mar

Durante a regressão dos tecidos larvais. Espículas do esqueleto da larva ainda estão presentes na região aboral.

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: larva, juvenil, metamorfose, dic, bentônico
Larva plúteos de bolacha-do-mar
Larva plúteos de bolacha-do-mar

Larva plúteos de bolacha-do-mar

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: planctotrófica, larva, dic, planctônico
Larva plúteos de bolacha-do-mar
Larva plúteos de bolacha-do-mar
Par de celomas se desenvolvendo junto do tubo digestivo no estágio inicial com 2 braços.

Larva plúteos de bolacha-do-mar

Par de celomas se desenvolvendo junto do tubo digestivo no estágio inicial com 2 braços.

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: planctotrófica, larva, dic, planctônico
Embrião de bolacha-do-mar durante formação da blástula
Embrião de bolacha-do-mar durante formação da blástula

Embrião de bolacha-do-mar durante formação da blástula

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: dic, embrião
Embrião de bolacha-do-mar com 32 células
Embrião de bolacha-do-mar com 32 células

Embrião de bolacha-do-mar com 32 células

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: dic, embrião
Bolacha-do-mar juvenil
Bolacha-do-mar juvenil
Região oral.

Bolacha-do-mar juvenil

Região oral.

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: juvenil, dic, bentônico
Bolacha-do-mar juvenil após metamorfose
Bolacha-do-mar juvenil após metamorfose

Bolacha-do-mar juvenil após metamorfose

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: juvenil, campo escuro, bentônico
Metamorfose na bolacha-do-mar
Metamorfose na bolacha-do-mar
Luz polarizada realça o esqueleto calcário mostrando a estrutura dos espinhos, pés e remanescentes do esqueleto larval.

Metamorfose na bolacha-do-mar

Luz polarizada realça o esqueleto calcário mostrando a estrutura dos espinhos, pés e remanescentes do esqueleto larval.

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: larva, luz polarizada, juvenil, metamorfose, bentônico
Larva plúteos de bolacha-do-mar
Larva plúteos de bolacha-do-mar
Estágio com 3 pares de braços e invaginação do vestíbulo do lado esquerdo.

Larva plúteos de bolacha-do-mar

Estágio com 3 pares de braços e invaginação do vestíbulo do lado esquerdo.

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: planctotrófica, larva, dic, planctônico
Embrião de bolacha-do-mar com 16 células
Embrião de bolacha-do-mar com 16 células
Disposição dos micrômeros no polo vegetativo.

Embrião de bolacha-do-mar com 16 células

Disposição dos micrômeros no polo vegetativo.

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: dic, embrião
Embrião de bolacha-do-mar com 8 células
Embrião de bolacha-do-mar com 8 células

Embrião de bolacha-do-mar com 8 células

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: dic, embrião
Embrião de bolacha-do-mar durante formação da blástula
Embrião de bolacha-do-mar durante formação da blástula

Embrião de bolacha-do-mar durante formação da blástula

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: dic, embrião
Larva plúteos de bolacha-do-mar
Larva plúteos de bolacha-do-mar

Larva plúteos de bolacha-do-mar

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: planctotrófica, larva, luz polarizada, planctônico
Larva plúteos de bolacha-do-mar
Larva plúteos de bolacha-do-mar
Celomas no estágio inicial com 2 braços.

Larva plúteos de bolacha-do-mar

Celomas no estágio inicial com 2 braços.

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: planctotrófica, larva, dic, planctônico
Células ectodérmicas de bolacha-do-mar durante formação da blástula
Células ectodérmicas de bolacha-do-mar durante formação da blástula

Células ectodérmicas de bolacha-do-mar durante formação da blástula

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: dic, embrião
Embrião de bolacha-do-mar com 16 células
Embrião de bolacha-do-mar com 16 células
Vista lateral mostrando posição dos micrômeros.

Embrião de bolacha-do-mar com 16 células

Vista lateral mostrando posição dos micrômeros.

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: dic, embrião
Embrião de bolacha-do-mar com 2 células
Embrião de bolacha-do-mar com 2 células

Embrião de bolacha-do-mar com 2 células

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: dic, embrião
Embrião de bolacha-do-mar com 32 células
Embrião de bolacha-do-mar com 32 células

Embrião de bolacha-do-mar com 32 células

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: dic, embrião
Embrião de bolacha-do-mar com 1 célula
Embrião de bolacha-do-mar com 1 célula

Embrião de bolacha-do-mar com 1 célula

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: dic, embrião
Bolacha-do-mar juvenil
Bolacha-do-mar juvenil
Pés ambulacrais e espinhos.

Bolacha-do-mar juvenil

Pés ambulacrais e espinhos.

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: juvenil, dic, bentônico
Bolacha-do-mar juvenil após metamorfose
Bolacha-do-mar juvenil após metamorfose
Ossículos da lanterna de Aristóteles em formação na região oral.

Bolacha-do-mar juvenil após metamorfose

Ossículos da lanterna de Aristóteles em formação na região oral.

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: luz polarizada, juvenil, bentônico
Espícula calcária
Espícula calcária
Esqueleto sendo secretado por células mesenquimais primárias.

Espícula calcária

Esqueleto sendo secretado por células mesenquimais primárias.

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: <0,1 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: dic, embrião, planctônico
Larva plúteos de bolacha-do-mar
Larva plúteos de bolacha-do-mar
Crescimento do par de braços antero-laterais (2° par).

Larva plúteos de bolacha-do-mar

Crescimento do par de braços antero-laterais (2° par).

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: planctotrófica, larva, dic, planctônico
Larva plúteos de bolacha-do-mar
Larva plúteos de bolacha-do-mar

Larva plúteos de bolacha-do-mar

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: planctotrófica, larva, luz polarizada, planctônico
Larva plúteos de bolacha-do-mar
Larva plúteos de bolacha-do-mar

Larva plúteos de bolacha-do-mar

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: planctotrófica, larva, dic, planctônico
Embrião de bolacha-do-mar com 16 células
Embrião de bolacha-do-mar com 16 células
Vista do polo animal.

Embrião de bolacha-do-mar com 16 células

Vista do polo animal.

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: dic, embrião
Embrião de bolacha-do-mar com 4 células
Embrião de bolacha-do-mar com 4 células

Embrião de bolacha-do-mar com 4 células

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: dic, embrião
Segunda divisão celular de uma bolacha-do-mar
Segunda divisão celular de uma bolacha-do-mar

Segunda divisão celular de uma bolacha-do-mar

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: dic, embrião
Segunda divisão celular de uma bolacha-do-mar
Segunda divisão celular de uma bolacha-do-mar

Segunda divisão celular de uma bolacha-do-mar

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: dic, embrião
Bolacha-do-mar juvenil
Bolacha-do-mar juvenil
Ânus na superfície aboral do jovem (estrutura curva em vermelho).

Bolacha-do-mar juvenil

Ânus na superfície aboral do jovem (estrutura curva em vermelho).

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: juvenil, dic, bentônico
Arquêntero da larva prisma
Arquêntero da larva prisma

Arquêntero da larva prisma

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: larva, dic, embrião, planctônico
Larva plúteos de bolacha-do-mar
Larva plúteos de bolacha-do-mar
Larva com 6 braços.

Larva plúteos de bolacha-do-mar

Larva com 6 braços.

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: planctotrófica, larva, campo escuro, planctônico
Larva plúteos de bolacha-do-mar
Larva plúteos de bolacha-do-mar
Larva com 6 braços.

Larva plúteos de bolacha-do-mar

Larva com 6 braços.

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: planctotrófica, larva, dic, planctônico
Larva plúteos de bolacha-do-mar
Larva plúteos de bolacha-do-mar

Larva plúteos de bolacha-do-mar

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: planctotrófica, larva, luz polarizada, planctônico
Embrião de bolacha-do-mar antes da segunda divisão
Embrião de bolacha-do-mar antes da segunda divisão

Embrião de bolacha-do-mar antes da segunda divisão

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: dic, embrião
Embrião de bolacha-do-mar com 108 células
Embrião de bolacha-do-mar com 108 células

Embrião de bolacha-do-mar com 108 células

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: dic, embrião
Óvulos de bolacha-do-mar
Óvulos de bolacha-do-mar

Óvulos de bolacha-do-mar

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: gameta, dic
Espermatozóides de bolacha-do-mar
Espermatozóides de bolacha-do-mar

Espermatozóides de bolacha-do-mar

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: gameta, dic
Liberação de gametas da bolacha-do-mar
Liberação de gametas da bolacha-do-mar
Exemplar adulto liberando esperma no laboratório.

Liberação de gametas da bolacha-do-mar

Exemplar adulto liberando esperma no laboratório.

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: >100 mm
Local: São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: macrofotografia, adulto, bentônico
Blástula de bolacha-do-mar durante eclosão
Blástula de bolacha-do-mar durante eclosão

Blástula de bolacha-do-mar durante eclosão

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: dic, embrião, planctônico
Primeira clivagem de uma bolacha-do-mar
Primeira clivagem de uma bolacha-do-mar

Primeira clivagem de uma bolacha-do-mar

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: dic, embrião
Bolacha-do-mar juvenil
Bolacha-do-mar juvenil
Ossículos da lanterna de Aristóteles em formação na região oral.

Bolacha-do-mar juvenil

Ossículos da lanterna de Aristóteles em formação na região oral.

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: luz polarizada, juvenil, bentônico
Gástrula de bolacha-do-mar
Gástrula de bolacha-do-mar
Arquêntero durante invaginação.

Gástrula de bolacha-do-mar

Arquêntero durante invaginação.

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: dic, embrião, planctônico
Larva plúteos de bolacha-do-mar
Larva plúteos de bolacha-do-mar
Larva com 6 braços.

Larva plúteos de bolacha-do-mar

Larva com 6 braços.

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: planctotrófica, larva, campo escuro, planctônico
Larva plúteos de bolacha-do-mar
Larva plúteos de bolacha-do-mar

Larva plúteos de bolacha-do-mar

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: planctotrófica, larva, campo escuro, planctônico
Larva plúteos de bolacha-do-mar
Larva plúteos de bolacha-do-mar
Larva com 2 pares de braços e início do desenvolvimento dos braços postero-dorsais na lateral do corpo.

Larva plúteos de bolacha-do-mar

Larva com 2 pares de braços e início do desenvolvimento dos braços postero-dorsais na lateral do corpo.

Autor: Bruno C. Vellutini
Táxon: Clypeaster subdepressus
Tamanho: 0,1 - 1,0 mm
Local: CEBIMar, São Sebastião, SP, Brasil
Marcadores: planctotrófica, larva, dic, planctônico

Ciclo de vida de um equinodermo

<p>Neste tour você pode acompanhar os estágios de vida da bolacha-do-mar <em>Clypeaster subdepressus</em>. Este equinodermo é parente dos ouriços-do-mar, mas seu corpo é achatado e vive semi-enterrado na areia do fundo do mar.</p> <p>Os embriões e larvas foram criados em laboratório no CEBIMar e fotografados até se transformarem em pequenos juvenis. Para tal, coletamos os adultos no Canal de São Sebastião (São Sebastião, SP, Brasil) e os induzimos a liberarem seus gametas (óvulos e espermatozóides). Fizemos a fecundação <em>in vitro</em> e acompanhamos o desenvolvimento dos embriões sob microscopia de luz.</p> <p>Após as primeiras horas de divisões celulares os embriões tornam-se larvas natantes (plúteos), com cerca de 0,2 mm, que alimentamos com microalgas até sua metamorfose. Dentro da larva começa a crescer uma pequena bolacha-do-mar. Quando os minúsculos pés e espinhos estão formados a larva afunda e sofre a metamorfose. A jovem bolacha-do-mar reabsorve os tecidos larvais e passa a explorar seu novo habitat, entre os grãos de areia.</p>

Ficha Técnica

Referências

2010 Vellutini BC, Migotto AE. Embryonic, larval, and juvenile development of the sea biscuit Clypeaster subdepressus (Echinodermata: Clypeasteroida). PLoS ONE, 5(3): e9654, doi:10.1371/journal.pone.0009654, pmid:20339592, url:http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20339592